Janela Indiscreta

Este blogue foi recomendado pelo Pedro Rolo Duarte no seu programa Janela Indiscreta, da Antena 1, a 28-07-2010.
A história chegou ao fim, foram 42 episódios ao longo de meio ano. Mas ela está cá toda, é só consultar o arquivo do blogue, começando em Julho de 2010. Ou escolha o episódio que quiser, utilizando a caixa de pesquisa, aqui ao lado.
À laia de motivação, aqui fica a republicação do 1º Episódio.

1 de agosto de 2010

6º Episódio

“Coma lá alguma coisa”, pediu a russa, que punha a mesa à minha frente. “Veja, até lhe arranjámos a sua marca de café preferida!”
Perante mim surgia um pequeno-almoço e pêras. Além de várias qualidades de pão e compotas, havia presunto, fiambre, queijo, muesli, ovos mexidos e, claro, salsichas tipo Frankfurt. Nunca conseguiria engolir tanta coisa e perguntei:
“Alguém deseja fazer-me companhia?”
Recusaram, com excepção do Sr. Cebolo, cujo sorriso lhe rasgava o rosto de orelha a orelha. Foi buscar uma cadeira e sentou-se em frente a mim, com as palavras:
“Nunca recuso uma oportunidade de forrar aqui o estômagozinho.”
A voz de vodka olhou-o desagradada, mas acabou por se juntar ao mexicano e ao chinês, que conversavam a um canto.
O Sr. Cebolo engolia torradas e salsichas a grande velocidade, regando tudo com chávenas de café com leite bem açucaradas. O jeito dele, no fundo, agradava-me, não me parecia tão rigoroso como os outros. E, debaixo do seu bigode farfalhudo, os seus lábios não hesitavam em sorrir.
“O senhor é português, não é?”
Os seus olhos escuros brilharam de satisfação e, depois de passar o guardanapo pela boca, desenhou-se-lhe no rosto o tal sorriso largo:
“O senhor ainda é mais inteligente do que eu pensava, Professor, a primeira pessoa que não me pergunta se sou espanhol, italiano, sul-americano ou europeu de leste... É que é preciso ter lata: europeu de leste!”
Abanou a cabeça e eu lembrei-me de um colega que, apesar de saber castelhano, queria aprender português. Gostava de passar férias em Portugal e notava que os locais se indignavam ou ofendiam, se ele tentava falar castelhano com eles. Mas como ele me disse que se safava com o inglês, aconselhei-o a mudar de ideias. A aprendizagem do português só se adequa a um maluco com um faible para línguas. Como eu!
Logo ali resolvi dar uma nova alegria ao Sr. Cebolo. Como os outros três pareciam muito embrenhados na sua conversa, reflecti sobre as palavras certas e sussurrei no seu idioma:
“Que boas torradinhas, não acha?”
O Sr. Cebolo ficou completamente encantado e retorquiu, igualmente em português:
“Acaba de ganhar um amigo, Professor. E eu nem lhe levo a mal que me tenha falado nesse sotaque abrasileirado, assim a jeito de telenov... Ai!“
A Sra. Tortinova dera-lhe uma pancada leve na cabeça, como se lhe tivesse sacudido o pó. E sibilou:
“Se alguém mais te ouve, seu parvo!”
“Credo, rapariga, não te agites”, replicou o Sr. Cebolo, tentando novamente acamar as repas. “Mesmo que o Mao e o Dieguito se tivessem apercebido, eles não me iam chibar ao comandante.”
“Não te fies nisso!” A russa fungou de desprezo e disse-me: “Nunca na minha vida conheci outra pessoa que tivesse tanta dificuldade em controlar os seus impulsos, como aqui o Zé Cebolo!”
Eu sentia-me responsável por aquele desaguisado e retorqui:
“A culpa foi minha, eu é que comecei com o disparate.”
Mas o português já fazia um gesto de indiferença com a mão:
“Não se incomode, Professor. Eu e a Olga somos bons amigos.” Sorriu malandro na direcção da russa e acrescentou: “Muito bons amigos!”
A voz de vodka afastou-se emproada e o Sr. Cebolo confidenciou-me:
“Tratarei de a acalmar. Isto, com pequenas, é saber dar-lhes a volta… E ela não parece, mas digo-lhe: é um verdadeiro vulcão!”

12 comentários:

Voltaire disse...

Mais um enigma. Mas porque é que o Sr. Cebolo não pode falar Português ao pé dos outros nazis?
Ou mesmo em 2112 há Nazis de diferentes categorias?

mikael ar canjas disse...

Sempre os houve de diferentes categorias
Clonar hitler para quê, há uns Biliões deles por ai, de todas as cores e feitios, só estão necessitando de uma oportunidade

Folhetim biebdomadário, todos os domingos perfeitamente dia do senhor

e quartas-feiras!
meio da semana também serve

RESUMO dos episódios anteriores: estamos na América do ano 2112.
não se podia ter feito na europa ou em áfrica?
era mais pertinho?

Um cientista especializado em clonar animais extintos...enfim
coitadito
um cientista desempregado
não necessita de ser raptado
mas adiante

uma comunidade de nazis vindos dos quatro cantos do globo,
e tem de ir para a américa?
só se o custo de vida melhorou em 211...esqueci-me


cujo objectivo é dominar o mundo
para quê ele já está dominado
substituir os que dominam?
também acontece de vez em quando
porque não clonar o chaka
ou o José Eduardo dos Santos
o hitler tá demodêeeeeee
não dê nazis a hitler
o tipo tá morto, já não os aprovêta
e acontecia-lhe como o clone da dolly, dava mais ovelha que lobo

Kássia Kiss disse...

Voltaire, no bunker só é permitido falar alemão, não só o português é proibido.
Já agora, tem algum blog ou página na net?
Mikael ar canjas, grata por o ver por aqui. Não duvido que haja biliões de hitlers por aí. E eu também podia ter escolhido outro energúmeno, sim senhor. O Hitler nesta história (que é uma sátira, ou caricatura) não passa de um símbolo. A América aconteceu por acaso (talvez por ser de lá que vêm a maioria dos prémios nobeis; podia-se discutir sobre a razão de tal, mas isso é outra história). O cientista não estava desempregado e também é discutível a necessidade de se clonar animais extintos. Mas ele, neste caso, tinha que saber fazer isso (truques de quem escreve ficção ;) E até pode ser que no futuro se invista em projectos desses. "Substituir os que o dominam"? Claro que sim! E vamos ver se este Hilter sai mais ovelha ou lobo...
Apareça sempre! É um prazer ler comentários críticos como o seu!

antonio - o implume disse...

Tinha que ser! O português tinha de ser comilão, indisciplinado e de olho nas pequenas... e chamar-se Ceboso.

Protesto. Agora tu pensa bem o que vais fazer com este Hitler clonado... virá ele salvar a humanidade?

Kássia disse...

Bem, ele chama-se Cebolo. Eu sei que foi um erro provocado pelo teclar rápido, mas olha que Ceboso também não era má ideia ;)

Quanto ao Hitler clonado, não posso dizer nada, senão tirava o suspense à história...

Blondewithaphd disse...

Ora então cá estou!
E a pergunta que me faço é: "mas que diabo é acamar as repas?" Portugiesisch, so eine wunderbare Sparache:)

Blondewithaphd disse...

Sprache, natürlich! "#$% PC!!!

Zé Povinho disse...

Um Cebolo ou Ceboso malandrote, ou quiçá algo mais
Abraço do Zé

mdsol disse...

Muito bem Kássia. Continuo a seguir a saga, agora com um Cebolo na trama.
E diz à Blonde que repas são melenas... eh eh eh

:))

Daniel Santos disse...

A personagem "cromo" de um português... par quando uma personagem de um português que seja o mau e inteligente da fita?

Rafeiro Perfumado disse...

Só acho estranho terem-lhe servido o pequeno-almoço e também pêras...

Kássia Kiss disse...

À sua maneira, o Cebolo tornar-se-á no "inteligente da fita".

Uma grande pêra também para ti, Rafeiro ;))